segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

"Essa sim, é a Catarina que eu gosto de ver. Eras tão sorridente! Por isso é que estou sempre a dizer, sorri, rapariga! Não é?"
Ó avô desculpa. Desculpa-me por não ser capaz de mentir melhor, de sorrir melhor, por não ser novamente aquela criança pequena que era incapaz de ser humilde e que estendia os braços para as prendas de natal e fazia de conta que tocava violino da pior forma possível. Desculpa, avô. Eu queria ser essa menina, sabes? Mas é tão difiícil, quando choro até adormecer e sinto que tudo desaba à minha volta! Desculpa, avôzinho... Desculpa.
" Pois é, avô. Tens toda a razão!" - e ela sorri, consciente de que todos sabem que está algo de errado com o sorriso dela, mas que é boa a fingir, e que amanhã já ninguém se lembrará de nada.
E assim começa mais um ano...

14 comentários:

  1. Muita força para ti também, querida Catarina. E um beijinho grande no coração.

    ResponderEliminar
  2. Awww, tão querida! Muito obrigada (:

    ResponderEliminar
  3. Até tu tens minha querida, acredita!<3

    ResponderEliminar
  4. Tens de conseguir acreditar nisso e em ti, nas tuas capacidades, no dom que tens. Oh, no amor que tens pela escrita. E oh, minha querida, que doce me és. Só pelas palavras, já me acalmaste um pouco. Vou ter força, obrigada de coração <3

    ResponderEliminar
  5. oh obrigada, obrigada mesmo minha querida *

    ResponderEliminar
  6. liindo , gostei bastante (:
    estou seguindo seu blog!

    ResponderEliminar
  7. Temos que aprender a gostar mais de nós do que dos outros não é? Obrigada <3

    ResponderEliminar